sábado, 23 de setembro de 2017

O macro e o micro






As coisas estão estranhas no Brasil.
As “minorias”, que são: homossexuais, lésbicas, feministas, negros, nortistas, gente oriunda de religiões diferentes etc, estão preferindo se inferiorizar para ganhar espaço na mídia como coitadinho, e ganhar alguma coisa com isso, ao invés de aceitar que gente é gente, e problemas acontecerão sendo ele do jeito que é ou não. No final, as minorias estão ditando as regras e as maiorias estão sendo obrigados a obedecer.
Um grande exemplo de gente inteligente e trabalhadora e que não ficou lutando burramente pra ser minoria, e se impôs na sociedade, cavando seu espaço, e hoje está perfeitamente dentro da engrenagem brasileira e as vezes com grande destaque, são os chineses.
Chegaram aqui recentemente, sem saber falar absolutamente nada, enfrentaram um racismo que também foi muito duro contra eles, estudaram, entenderam a sociedade e hoje em sua grande maioria são patrões.
Os árabes também: chegaram um pouco antes que os chineses, mas de uns anos pra cá, devido as várias guerras no Oriente Médio, fizeram uma nova investida no Brasil, se encaixaram perfeitamente na sociedade, e hoje, quando não são patrões, tem ótimos empregos e destaque na sociedade.
Não tem chinês e nem árabe querendo ser minoria. Não tem coreano, não tem europeu, brigando pra se apequenar e ganhar a peninha dos outros.
Me desculpem a sinceridade desse texto, mas eu sou da opinião de que nesse pais chamado Brasil, existe condição pra todo mundo que queira encarar a vida, que queira trabalhar, que queira estudar e lutar para encontrar seu espaço. A nossa sociedade tem racismo, tem homofobia, tem preconceito religioso? Claro que tem, mas em relação à grande maioria dos países do mundo, nossa sociedade é muito mais acolhedora e humana. Ultimamente quando você vê um caso de racismo, de mulher violentada, de intolerância religiosa, pode ir à fundo na notícia, que você vai ver que o infrator, geralmente é um perturbado mental, ou pessoa de moral duvidosa.
Gente... Vamos olhar para o macro e não para o micro. Vamos deixar de ser burros! Vamos imitar os chineses, coreanos, árabes e todo mundo que venceu por aqui, eles vieram de longe e olharam para o macro, entendendo nossa sociedade muito melhor que a gente e hoje fazem parte de um todo.
Pense nisso!






sexta-feira, 15 de setembro de 2017

domingo, 3 de setembro de 2017

Descartáveis S/A

                                          
                                               





Tuuu... Tuuu... Tuuu... Tuu.
- Obrigado por ligar para a Descartáveis S/A, se você precisa de uma namorada ou namorado, tecle 1. Se precisa de um amigo tecle 2, se precisa apenas de um caso de final de semana, tecle 3, se quiser receber o nosso catálogo tecle 4, ou aguarde para falar com um dos nossos atendentes.
- Alô, aqui quem fala é Ademar Pereira, em que posso lhe ajudar?
- Oi, eu queria saber como é esse negócio de descartáveis.
- Sim... Aqui a gente trabalha com todos os tipos de descartáveis. Pois nesse mundo corrido em que vivemos não dá mais pra ficar perdendo tempo com coisas fúteis e sentimentalistas.
- Legal, se eu quiser um relacionamento como é que vocês fazem?
- Nós temos agentes espalhados pelos bares e clubes da cidade, e em todos os tipos de balada. Você pode beijar quantas meninas quiser sem compromisso, como num relacionamento relâmpago, totalmente descartável. Mas se preferir, pode levar esse relacionamento por alguns dias ou semanas, e talvez até meses, depois quando enjoar, pode simplesmente largar e terminar o relacionamento.
- Mas a menina não vai ficar chateada?
- Não, porque aqui o nosso lema é: "Eu feliz e mais ninguém." Nossos clientes tem que zelar apenas pela sua satisfação pessoal, e nada mais.
- E casamento?
- Temos também. Totalmente descartáveis, até com filhos, você namora, fica noivo, casa, tem filhos e o dia em que não estiver mais feliz, parte pra uma vida nova, sem problemas.
- E os filhos?
- Descartáveis, eles arrumam outro pai descartável que lhes crie depois.
- Que legal! Aí tem amigos também?
- Temos... Amigos de infância, de escola, de faculdade, do futebol, de trabalho, todos totalmente descartáveis, depois quando você não os quiser mais como amigos, é só passar do outro lado da rua, como se não os conhecesse.
- Rapaz, mas isso aí é bom demais!
- Obrigado senhor, a sua satisfação, é o mais importante para nossa empresa.
- Então anota aí meu pedido: Eu quero, três amigos pra um ano, cinco meninas pra beijar hoje, sendo que uma delas é pra namorar três meses.
- Tudo bem senhor, mais algum pedido?
- Ah, sim... Me manda também uma dúzia de copinhos plásticos pra café!





sábado, 26 de agosto de 2017

Aventura e Ficção






Eu era criança em uma época em que os gibis de heróis faziam sucesso entre a garotada. O gibi do Homem Aranha chegava na banca do Sr. Joaquim no dia 15, o “Superaventuras Marvel”, chegava dia 20, o “Heróis da TV”, que trazia as aventuras dos Vingadores, chegava dia 25, no comecinho do mês, geralmente dia 5, chegava “A espada selvagem de Conan”, gente... Como eu ficava apreensivo esperando esses dias chegarem logo no calendário.
O “seu” Joaquim era um sujeito estranho, ele sabia que eu comprava todos os gibis, mas se eu não corresse lá no dia certo, ele vendia pra outra pessoa.
- Seu Joaquim, - eu falava – cadê o gibi do Homem Aranha.
- Vendi, - ele respondia seco!
- Mas o senhor sabe que eu venho sempre comprar, porque o senhor não guardou um pra mim?
- Eu não estou aqui pra ficar guardando revista pra ninguém! – respondia ele ficando vermelho de raiva.
Uma vez, depois de anos que eu comprava gibi em sua banca, não sei como, o velho Joaquim me disse:
- Gordinho, como é o seu nome?
- André.
- Olha aqui, chegou essa revista nova, ela se chama Aventura e Ficção, eu guardei uma pra você.
- O senhor guardou uma pra mim? – eu falei sem acreditar na gentileza daquele bruto.
- Você tem que ter responsabilidade. – disse Joaquim me entregando a revista. – Quando você gosta de uma coisa, você tem que correr atrás dessa coisa, antes que outros a tomem de você. Assim funciona a vida. Você vai ver que durante a sua vida toda, você vai ter que correr atrás, se quiser se dar bem. Então não adianta você falar pra eu guardar as revistas pra você! Você sabe o dia que elas chegam, e é sua responsabilidade vir aqui buscar!
- Mas Sr. Joaquim, quando o senhor não guarda pra mim, eu tenho que ir na banca do Mário, lá no largo da matriz. Tenho que andar quase uma hora pra chegar lá! Ainda bem que ele pede um monte de gibi e sempre sobra.
- Ele não está ajudando em nada pedindo um monte de gibi pra sobrar. Aposto que os meninos lá são folgados e não são fiéis como os meninos que compram comigo.
Na época eu não entendi muito bem essa posição do velho Joaquim, não entendi como essa chatice dele poderia me ajudar em alguma coisa, e achei simplesmente que ele era um velho ranzinza.
- Quanto é essa revista nova que o senhor guardou pra mim?
- Nada! – disse Joaquim me estendendo a revista. – Mas olhe bem! Hoje é dia 12, e essa revista vai chegar sempre por volta desse dia, se quiser comprar, já sabe! Mês que vem não vou nem guardar e nem te dar!
Sabe que hoje eu entendo bem as chatices pedagógicas do Sr. Joaquim, além de me ensinar a correr atrás das coisas que gosto, de ser disciplinado com isso, ainda me deu de presente a “Aventura e Ficção”, que me fez ter que que escolher todo mês uma revista que tinha que deixar de comprar, porque o dinheiro que meu pai me dava, não dava pra comprar todas... O Sr. Joaquim era sábio... Também... Era dono de banca de revista, devia ser bem informado...






sábado, 12 de agosto de 2017

Tachos Calvino






Segundo a religião cristã, haverá um dia em que você, eu tu, ele, nós, vós e eles, serão, seremos, serei, sereis, julgados!
Depois desse julgamento, se você aceitou a Jesus como seu único e suficiente salvador, você deverá segundo as escrituras, ser salvo e ir morar no céu eternamente. Mas se você não aceitou Jesus, e torceu pelo lobo mau a vida toda, certamente você vai fritar no tacho do capeta eternamente, e de vez em quando ele vai te dar uma cutucada com o tridente pra ver se você já está bem fritinho, mas esse prato, onde você é a iguaria principal nunca vai ficar pronto, afinal, eternamente é muito tempo, meu amigo! Quer moleza?
Bom, tudo seria simples assim, se a gente não complicasse as coisas. Mas como nós somos pessoas, e pessoas são inteligentes pra burro, a gente complica as coisas. Um dos complicadores mais complicados, foi um cidadão chamado João Calvino, esse cidadão arrumou um jeito de dizer, baseando-se em versículos da Bíblia, meticulosamente escolhidos, que não é assim tão fácil escolher Jesus como seu salvador e pronto, você será salvo. Na verdade, ele bolou uma trama teológica, onde a simplicidade da salvação se dá apenas para um grupo de pessoas, que ele chamou de escolhidos, eleitos, ou predestinados. Segundo Calvino, Deus na marra, fará com que alguns escolham a Jesus, e o aceitarem, mesmo que não queiram, como seu único e suficiente salvador, irresistivelmente, fantochemente, e pasmem, livremente.
Segundo ele, a outros, mesmo que queiram, não será dada a chance de escolher a Jesus, mesmo que o cara assista uma pregação, encontre uma bíblia em uma ilha deserta e se convença de que Deus é o caminho, e queira trilhar esse caminho; Deus vai mexer os pauzinhos para que o coração desse fulano se endureça e ele não aceite Jesus verdadeiramente, porque ele não é um dos eleitos. E pasmem, na cabeça oca do Calvino, mesmo que Deus tenha interferido pro cara não aceitar a Jesus, a não escolha, é calvinamente classificada como livre.
Esse Calvino tem milhões de seguidores no mundo, na verdade, entre as igrejas evangélicas tradicionais, esse cidadão é o mais influente teólogo. Seus discípulos são combativos, e sua doutrina tem entrado em igrejas que tradicionalmente pensavam diferente disso. Essa questão que eu coloquei aqui, é apenas um agente complicador da teologia calvinista, existem outras tantas, pois sua doutrina é calcada em 5 pontos, e cada ponto é mais polêmico que o outro.
Ainda bem que no dia do julgamento, quem vai julgar é Deus e não, nenhum calvinista, senão, não iria caber gente no tacho do capeta, na verdade, acho que o capeta teria que abrir uma fábrica de tachos! Imagine o slogan da fábrica: Tachos Calvino, eternamente esperando por você!
Eu hein... Tô fora!